quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Um dia




"— Então, qual é a sua conclusão, Dex?
— Sobre o quê, Em?
— Sobre eu e você. Você acha que é amor? — deu uma risada grave, os lábios bem apertados.
— Vê se dorme, tá?
— Então pare de olhar para o meu nariz. — Abriu os olhos, azul-esverdeados, brilhantes e astutos. — Que dia é amanhã? —
resmungou.
— Você quer dizer hoje?
— Hoje. Esse dia novo e radiante que nos espera.
— É uma sexta. Sexta o dia inteiro. Aliás, é o Dia de São Swithin.*
— E o que isso quer dizer?
— É uma tradição. Se chover hoje, vai chover pelos próximos quarenta dias, ou durante todo o verão, algo assim.
Emma franziu o cenho.
— Isso não faz sentido.
— Nem é para fazer. É uma superstição.
— Vai chover onde? Sempre está chovendo em algum lugar.
— No túmulo de São Swithin. Ele está enterrado perto da catedral de Winchester.
— Como você sabe tudo isso?
— Eu estudei lá.
— Uau — ela falou baixinho no travesseiro.
— “Se chover no Dia de São Swithin / Por quarenta dias permanecerá assim.”
— Que belo poema.
— Bom, eu só estava parafraseando.
Ela riu mais uma vez, depois ergueu a cabeça, sonolenta.
— Escuta, Dex?
— Em?
— E se não chover hoje?
— Hu-hum.
— O que você vai fazer mais tarde?
“Diga que vai estar ocupado.”
— Nada especial — respondeu.
— Então vamos fazer alguma coisa? Quer dizer, nós dois?
“Espere ela dormir e saia de fininho.”
— Sim. Tudo bem — concordou. — Vamos fazer alguma coisa.
Emma deixou a cabeça cair no travesseiro outra vez.
— Um dia novinho em folha — murmurou.
— É, um dia novinho em folha."


David Nicholls, Um dia




Há um tempão eu não lia, mas nessa de (re)ver filmes de atrizes/atoes que eu gosto, acabei descobrindo 'Um dia', e eu nem sabia que o filme era inspirado num livro. Assisti ao filme, que é estrelado pela lindíssima Anne Hathaway e por Jim Sturgess, e pensei, um dia eu leio o livro, um dia. Acabou que o tempo passou e, depois de meses, lembrei do livro.
Comecei a ler. E quem disse que eu consegui largar ele? A história é uma delícia, melhor do que o filme, pela riqueza de detalhes, claro, porque se fosse para detalhar um livro todo num filme levaria pra lá de hora.

'Um dia' conta a história de Emma Morley e Dexter Mayhew ou só Em e Dex, que por anos estudaram juntos, mas realmente só se conhecem de verdade no dia da formatura. A história dos dois passa a se desenrolar ou ficar cada vez mais enrolada, depende da perspectiva de quem lê, no dia seguinte à formatura, 15 de julho de 1988. Por isso cada novo capítulo retrata o dia 15 de julho dos anos seguintes.

Dex é daqueles carinhas que parece vir ao mundo à passeio, que aparece na vida da gente só pra confundir, bagunçar e depois vai embora. Já Emma, é romântica, sonhadora, mas realista, engajada e ao mesmo tempo um pouco insegura de tudo, daquelas que seriam um a ótima melhor amiga. Não vou ficar aqui falando da Em, porque é minha personagem favorita.
Emma e Dexter tornam-se melhores amigos, trocam cartas e telefonemas, porém, Dex é de família abastada, Em é de família mais humilde, por isso nos primeiros anos, enquanto Dex viaja o mundo e manda cartões postais para ela, Em trabalha num restaurante de comida mexicana e responde aos postais com cartas enormes. Enquanto Dexter se torna um 'famoso' apresentador de televisão, Emma é apenas professora de escola pública, como em toda grande amizade chega o momento de um hiato, a vida dele é frenética, a vida dela é pacata, muitos amores para ele, e  apenas um antigo ex-colega de trabalho para ela chamar de namorado. 

Os anos passam, Dexter parece sossegar, Emma separa do namorado, e os dois se reencontram no casamento de uma amiga da época da faculdade que por sinal era colega de quarto dela. Ao meu ver, é o casamento de Tilly Killick uma das melhores passagens do livro. Sabe aquele momento em que você encontra todos, ou quase todos os amigos da faculdade e começa a comparar os rumos da vida de cada um? Então. E na ocasião, a vida de Dexter já estava dando um grande guinada, ele já não era mais 'o famoso' da turma, Emma tinha saído do emprego para se dedicar ao seu livro, ainda sem muita perspectiva, enquanto os outros da turma já tinham empregos estáveis e até família formada. Para piorar Dex ainda estava noivo e ela solteira, talvez ainda fosse a única solteira da turma toda (Nesse momento eu me vi meio Emma. E se acontecesse uma ocasião onde estivessem todos os meus 'amigos' da época da faculdade? Eu estaria na mesma situação que ela, a diferença é que eu nem estou escrevendo um livro. So Sad). 

Dexter se casa, e tem uma filha, mas o casamento não é feliz e ele separa. Emma enfim vira escritora reconhecida e muda-se para Paris. Em e Dex se reencontram e decidem começar uma vida juntos.  (Aê, todo mundo comemora), e entre idas e vindas passaram-se quase 20 anos. E o final de tudo é surpreendente.

Acho que já narrei o livro demais, né? É que a história é tão linda, que dá vontade de escrever pra sempre. 'Um dia'  é sobre o primeiro encontro entre duas pessoas, é sobre a amizade que nasce a partir desse encontro, sobre as idas e vindas no decorrer de suas vidas, e as voltas que essas vidas deram, conquistas e frustrações, enfim, é a história de amor de Em e Dex.


É isso, taí o trailer do filme, mas ó, o livro é sensacional.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Maria Rita, Redescobrir, um show para a eternidade


Agora que passou toda a tensão e expectativa para a tão esperada gravação do dvd Redescobrir da cantora Maria Rita, restou aquela depressão pós-show. E que show foi aquele, alguém me explica? Porque talvez eu não consiga explicar aqui.

O show começaria as 22h, começou as 22:30h, meia hora de atraso, acho até normal, a casa estava lotada fazia um calor suportável, era calor humano, pessoas esperando por ela, pela tão esperada homenagem prestada à sua mãe.
Ao meu ver, para ela nunca será fácil ser filha de quem é, muitos ainda vão falar, comparar, comentar, como vi fazerem antes dela entrar no palco. Um questionava: _Quais foram as canções escolhidas por Maria Rita? Outro comentava: _Certeza que são canções radiofônicas, acho que a maioria aqui só conhece Elis das canções que tocam no rádio. 
(Re)descobrir, talvez eles não soubessem que esse também é o intuito do show, levar Elis aos que não tiveram a honra de conhecê-la em vida. Pois bem, o show começou, e o público cantava em peso, já ao final do 1° bloco de canções os moços falantes atrás de mim souberam reconhecer a grandeza de Maria Rita e a entrega de seu público.

Mais de 2h de show com pequenas pausas para falar da mãe, dos compositores favoritos e amigos de Elis, e para manter-se bela, volta e meia vinha o maquiador, secar o suor e retocar a maquiagem da cantora entre um choro e outro.

Com a canção 'Redescobrir' o show se encerraria, que nada, a cantora saiu do palco e o público em coro cantava: "Como se fora brincadeira de roda. Memória! Jogo do trabalho, na dança das mãos. Macias! O suor dos corpos na canção da vida. História! O suor da vida, no calor de irmãos". Ficamos alguns bons minutos repetindo este trecho da canção, até que a cantora voltou ao palco.

Ela chega até o microfone e diz: _Olha, a gente vai ter que refazer 5 canções, mas cês não precisam ficar aí não, quem quiser ir embora pode ir. Hahaha.
Como se alguém fosse ter coragem de arredar o pé dali. Das cinco canções, uma foi repetida mais vezes, por sinal a canção 'Imagem' que abre o show. Em uma das pausas para conversar com os músicos o público começou a pedir por 'Atrás da porta', canção não está no roteiro do show. Eis que Maria Rita vai ao microfone e inicia a canção, todos cantaram também, claro.

Dever comprido, cumprido. Completando quase quatro horas de show, já era notória a exaustão dela, gravidíssima, guerreira, aguentar esse tempo todo calçando daqueles belos sapatos não deve ter sido fácil não, acho que ela sentiu falta da época que cantava descalça, eu teria sentido. Porém, imagino a satisfação por ter realizado um show tão lindo, tão especial. Ela veio até a frente do palco e se despediu, chamou os músicos e juntos prestaram reverência ao público e foram embora, nos deixando emocionados depois da noite maravilhosa que presenciamos. 

Certeza que Elis onde estiver, está com aquele sorriso largo no rosto, orgulhosa da cria dela. A homenagem foi prestada a turnê 'Redescobrir' continuará não sei por quanto tempo ainda, mas o show que eu presenciei,  aquele dia (11/08), será eternizado.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012


Que dia é hoje, terça? Quarta?
Tô meio perdida...
Que chegue logo sexta, que chegue o sábado.
Estava perdida no tempo, agora tenho pressa, mas...
Espero que a noite de sábado demore a passar.
Não, não tem ninguém ansiosa aqui.










*Expectativa pro show de gravação do dvd da Mirrita*